EXAMES

Audiometria Tonal Limiar

Exame realizado para determinar o nível mínimo de resposta auditiva para as frequências de 250 Hz a 8000 Hz em cada orelha e classificar o tipo e grau da alteração auditiva.
O exame é feito em uma cabine acústica. O cliente é orientado a fazer um sinal todas as vezes que escutar o estímulo auditivo.
 

Audiometria Lúdica

Exame realizado para determinar o nível mínimo de resposta auditiva de crianças. Utilizam-se jogos para uma avaliação mais divertida e agradável, transformando o exame em uma brincadeira. 

Audiometria Vocal

Avalia as habilidades de percepção e reconhecimento dos sons da fala em cada orelha, desde a menor intensidade possível até a mais confortável. Ajuda a confirmar os resultados da audiometria tonal.
O exame é realizado em cabine acústica. O cliente é orientado a escutar e repetir as palavras como entender. Podem ser usadas figuras de apoio para crianças
 

Imitanciometria

Avalia a integridade da membrana timpânica e dos ossículos (martelo, bigorna e estribo) no exame de timpanometria, e da via auditiva até tronco encefálico na pesquisa do reflexo do músculo estapédio.
Inicialmente, é aplicada uma pressão rápida no canal auditivo e em seguida ouve-se uma sequência de apitos para obtenção dos reflexos estapedianos. É um exame objetivo e de fácil aplicação. Não é preciso responder ao exame.

Audiometria em campo livre

Exame realizado para medir o ganho funcional dos aparelhos auditivos, ou seja, o quanto a audição melhora com os aparelhos auditivos.
É feito em cabine acústica com e sem aparelhos auditivos. O cliente é orientado a fazer um sinal todas as vezes que ouvir o estímulo auditivo.
Com o resultado deste exame, é possível programar os aparelhos auditivos conforme for necessário.
 

Audiometria de observação comportamental

Avaliação auditiva indicada para crianças até dois anos, a fim de acompanhar a maturação das vias auditivas.
Consiste na apresentação de estímulos com diferentes frequências e intensidades para que a criança localize o som em diversas direções. O estímulo é apresentado posteriormente à distração realizada com brinquedo discreto. Observa-se também a presença de reflexos, como o Reflexo Cócleo-Palpebral (RCP).
É utilizada para complementar os exames objetivos.
 

Audiometria de Reforço Visual

Exame realizado para estabelecer o nível mínimo de resposta auditiva de crianças de até dois anos.
O teste é realizado em cabine acústica e consiste na apresentação um estímulo auditivo calibrado e a cada localização correta a criança recebe um reforço visual (brinquedos luminosos).
Os limiares auditivos podem ser pesquisados tanto em campo livre, quanto com o uso de fones convencionais, fones de inserção e vibrador ósseo.
 

Ganho de inserção

Exame realizado para medir o desempenho dos aparelhos auditivos, sem a participação do cliente.
O aparelho auditivo é colocado na orelha com um pequeno tubo próximo ao tímpano. O equipamento emite vários tipos de sons e capta a resposta dos aparelhos auditivos.
 A partir desta avaliação é possível fazer os ajustes necessários na programação dos aparelhos auditivos.
 

Emissões Otoacústicas

É o exame utilizado no Teste da Orelhinha, mas também pode ser feito em adultos e crianças. São dois tipos de teste: emissões otoacústicas transientes e produto de distorção.
Avalia a integridade da cóclea de forma rápida e indolor. Em uma sala silenciosa, é colocado um aparelho na entrada do canal auditivo externo, o qual emite vários tipos de sons e capta a resposta das células sensoriais.
Caso haja alteração neste exame, são necessárias outras avaliações para confirmar ou descartar uma perda auditiva.


 

Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico PEATE/BERA

Exame realizado para avaliar a integridade das vias auditivas centrais até tronco encefálico. Pode ser utilizado para determinar o nível mínimo de audição, especialmente em crianças que não conseguem responder na audiometria.
É feito em uma sala silenciosa, com o cliente completamente relaxado, preferencialmente dormindo, com eletrodos na testa e atrás das orelhas. É inserido um fone na entrada do canal auditivo ou adaptado o vibrador ósseo atrás do pavilhão auricular, o qual irá emitir sons de diferentes intensidades em cada orelha separadamente.
Para este exame utiliza-se o estímulo click, que ativa a cóclea como um todo, fornecendo poucas informações para a adaptação de aparelhos auditivos, quando necessário.
 

PEATE automático ou BERA triagem

Avalia a integridade das vias auditivas centrais até tronco encefálico na intensidade de 35 dB.
É um exame rápido e indolor, realizado em sala silenciosa com a criança dormindo. São colocados eletrodos na testa, bochecha e nuca e inserido um fone na entrada do canal auditivo que irá emitir o estímulo auditivo.
É realizado em bebês com algum indicador de risco para deficiência auditiva infantil e em casos de alteração do teste da Orelhinha.
 

PEATE por frequência específica

Exame que estabelece o nível mínimo de resposta eletrofisiológica para as frequências de 500 Hz, 1000 Hz, 2000 Hz e 4000 Hz.
É feito em uma sala silenciosa, com o cliente completamente relaxado, preferencialmente dormindo, com eletrodos na testa e atrás das orelhas. É inserido um fone na entrada do canal auditivo ou adaptado o vibrador ósseo atrás do pavilhão auricular, o qual irá emitir sons de diferentes intensidades e frequências em cada orelha separadamente.
É muito utilizado para determinar o grau da perda auditiva de crianças, pois fornece informações importantes para a adaptação dos aparelhos auditivos.
 

Eletrococleografia

Exame eletrofisiológico que avalia especialmente a cóclea e nervo auditivo. É utilizado para estabelecer o diagnóstico diferencial de algumas doenças que atingem as orelhas.
É realizado em uma sala silenciosa, com o cliente relaxado. No canal auditivo é inserido um eletrodo de ouro, que emite os sons e capta os potenciais das orelhas separadamente.
 

Avaliação de Processamento Auditivo Central

Exame realizado para verificar déficits nas funções auditivas centrais.  É indicado para pessoas com dificuldade de compreensão da fala, crianças e adolescentes com alterações de fala e/ou aprendizagem e quando há dificuldade na adaptação dos aparelhos auditivos.
O exame é realizado em cabine acústica. É aplicada uma bateria de testes comportamentais que avaliam diferentes funções auditivas, como figura-fundo, integração e separação binaural. A cada teste, o cliente é orientado como deve responder aos estímulos auditivos.
 

Acufenometria

Avalia as características psicoacústicas do zumbido, ou seja, a intensidade e frequência com que o zumbido é percebido pela pessoa.
É realizado em uma cabine acústica com uso de fones. São apresentados estímulos de diferentes frequências e o cliente deve responder qual som é mais parecido com o seu zumbido.  Após, é determinado o nível de som capaz de fazer com que o zumbido não seja mais percebido.
 Esta avaliação auxilia na determinação do melhor método de tratamento do zumbido.