Semana de Conscientização da Dislexia



FALANDO UM POUCO MAIS SOBRE DISLEXIA
 
Dentre as queixas de problemas de aprendizagem, podemos encontrar os quadros de dislexia. A DISLEXIA DO DESENVOLVIMENTO é descrita como sendo um TRANSTORNO ESPECIFICO DE APRENDIZAGEM, de origem genética-neurológica, que se caracteriza por dificuldades no reconhecimento da palavra, na habilidade de decodificação e soletração, que afeta a aquisição da leitura, do traçado da escrita e ortografia.
Sabe-se que a leitura não constitui uma habilidade isolada, ela faz parte de um processo linguístico complexo. O desenvolvimento da linguagem tem etapas interdependentes e hierarquizadas, dentro das quais num estágio mais superior a leitura e escrita. Deste modo, poderíamos nos alertar precocemente na identificação deste distúrbio, através das manifestações de linguagem de uma criança, como por exemplo, dificuldades quanto as habilidades metafonológicas (como rima, aliteração); habilidades auditivas como velocidade de processamento e reconhecimento sons do alfabeto.
Os estudos mostram que não há um padrão único de manifestação da dislexia, tendo subtipos, e com isso os profissionais que fazem as intervenções devem estar atentos. Os subtipos são: dislexia auditiva ou fonológica (associada a uma disfunção no lóbulo temporal); a dislexia visual (associada a disfunções do lóbulo occipital); dislexia mista (associadas às disfunções dos lóbulos pré-frontal, frontal occipital e temporal).
Não há dúvidas de que quando uma pessoa é identificada como disléxica, ela precisa receber um diagnóstico detalhado, para que possa ser assistida através de intervenções adequadas, pois não é algo que se caracteriza como um atraso no desenvolvimento da leitura, que possa ser superado pelo tempo.
Também é importante expor que disléxicos podem sim aprender a ler e escrever, sendo necessário que se faça avaliação e abordagem de ensino adequadas.
O diagnóstico é feito por avaliação multidisciplinar (Fonoaudiologia, Neuropsicopedagogia, Neuropsicologia e Neurologia); com avaliação do processamento auditivo e audiometria.
As intervenções serão fundamentadas a partir da avaliação realizada, por profissional habilitado e com entendimento na área, pois além do trabalho terapêutico serão necessárias orientações práticas de apoio escolar e familiar.
A Fonoaudiologia tem extrema importância no que se refere à Dislexia, pois trabalha com os diferentes aspectos da comunicação humana, ou seja, com a linguagem seja oral ou escrita, além de avaliar as questões de audição e processamento auditivo.
O CENTRO AUDITIVO PROAUDI E A PROAUDI REABILITAÇÃO contam com profissionais habilitados e comprometidos para avaliar e intervir nos transtornos de aprendizagem, linguagem, fala, voz, audição e funções responsáveis pela deglutição, respiração, mastigação, entre outros.           
 
Texto elaborado pela Fonaoduióloga da PróAudi Reabilitação, Marisa Fucillini, CRFa 7 - 3927
Pós-Graduada em Psicopedagogia
Pós-Graduada em Violência Doméstica contra a criança e ao adolescente
Pós-Graduanda em Neuropsicopedagogia
 
Referencias Bibliografias
Dislexia manual de Leitura Corretiva- Mabel Condemarin/ Marlys Blomquist – Artes Médicas – Porto Alegre – 1986.
Dificuldades de Aprendizagem – Manual de Orientações para pais e professores – Grupo Cultural.
Sinais e Orientações Práticas – Para o transtorno especifico de aprendizagem Dislexia  - Andréa Carla Machado/Suzzalei Faria Bello – 1ª Edição – 2017.