Zumbido: tecnologia dos aparelhos auditivos a seu favor



Zumbido e a tecnologia dos AASI a seu favor
 
Sabe aquele barulho no ouvido? Aquele chiado ou apito, às vezes parece uma cigarra, outras vezes parece um motor, tem dias que é mais forte e outros que diminui? Você sente isso? Ou conhece alguém que sofra deste sintoma?
ZUMBIDO! Esse é um dos vilões da Saúde Auditiva. Segundo a OMS cerca de 28 milhões de pessoas brasileiras e 278 milhões de pessoas no mundo sofrem desse mal(1) e sua incidência está cada vez maior, principalmente entre populações jovens(2).
O zumbido, também chamado de tinnitus ou acúfeno é sintoma de alguma alteração no organismo humano e é considerado o terceiro pior sintoma, podendo ter várias causas relacionadas com problemas auditivos como perda auditiva, otite, trauma acústico, e para-auditivos, como doenças metabólicas como diabetes, hipo ou hipertireoidismo, doenças cardiovasculares como hipertensão arterial, doenças psicológicas como ansiedade e depressão(3). A principal causa de zumbido é a perda auditiva, ou seja, a diminuição da capacidade de ouvir(4).
E os problemas auditivos estão cada vez mais comuns e frequentes no dia a dia das pessoas, sendo que o zumbido também é um dos sintomas bastante comum, afetando uma grande parcela das pessoas com queixa de não ouvir e entender, ou seja, com perda auditiva. Mas existem aquelas pessoas que queixam-se apenas de ter um barulho insuportável que atrapalha a vida, mesmo com audição normal(4).
O uso de aparelho de amplificação sonora individual (AASI) é uma das ferramentas utilizadas para tratar o zumbido(1,4). E o avanço tecnológico aplicado no funcionamento dos AASI tem propiciado cada vez respostas mais satisfatórias no tratamento desse sintoma.
Nem somente quando há perda auditiva está indicado o uso de AASI, mas para audição normal com pessoas que referem zumbido e já tentaram outros tratamentos ou tem resistência ao tratamento indicado, o uso de AASI com gerador de som individualizado também está indicado(5).
Os AASI possuem recursos sofisticados para auxiliar no tratamento do zumbido, onde o fonoaudiólogo poderá programar o aparelho auditivo e o gerador de som realizando ajustes de acordo com a necessidade, o tipo, o volume que cada paciente perceber seu zumbido, podendo o próprio paciente realizar modificações no aparelho para como está percebendo o zumbido naquele dia ou momento(5,6,7). E ainda os recursos em tecnologia permite ajustes finos para diminuir as queixas referidas pelas pessoas que utilizam AASI e assim o uso pode ser efetivo com resultados eficazes(7).
Os aparelhos auditivos possuem uma ampla e sofisticada tecnologia aplicada na captação do sinal sonoro ambiental e a transformação deste som em som audível para a pessoa com deficiência auditiva, possuindo recursos automáticos de processamento do som, com microfones direcionais, redutores de ruídos variados e em vários níveis de atuação, redutores específicos para tipos variados de som, como barulhos de talheres, porta, motores, vento, batidas de impacto. E ainda tem algoritmos específicos e detalhados para gerar o som semelhante ou mais parecido possível do zumbido que a pessoa percebe para ser utilizado no tratamento do zumbido, e assim o sintoma ser amenizado(6,7).
E isso através de recursos como aplicativo em celular, acessórios de conectividade via bluetooth como controle remoto, que facilita o uso do aparelho auditivo bem como, e principalmente, efetiva o tratamento do zumbido.
E mesmo com tanta tecnologia envolvida, os aparelhos auditivos estão cada vez menores e charmosos, quase que imperceptíveis no uso, possuindo resistência à água e poeira, conectividades por wireless e bluetooth com outros equipamentos, pilhas recarregáveis, e uma garantia de melhor qualidade de vida a quem os utilizar.
É fundamental salientar que o zumbido precisa de uma avaliação e investigação médica para descobrir sua causa e tratar a doença base, pois, como já foi descrito, ele é um sintoma. Somente utilizar o aparelho auditivo para mascará-lo sem tratar a doença causadora não é uma conduta adequada. O aconselhamento se torna fundamental para o tratamento do zumbido ser eficaz, pois é através do aconselhamento que a pessoa com zumbido irá entender esse sintoma, sua provável origem, os mecanismos de defesa, a necessidade de utilização dos equipamentos como AASI e gerador de som(6,8), bem como poder ter uma qualidade de vida melhor e o zumbido realmente tratado.
Zumbido tem tratamento. Venha conhecer e receber orientações para seu tratamento. Venha se informar na PróAudi!
 
Texto elaborado pela Fonoaudióloga da PróAudi Morgana Gai Remonatto, CRFa 7-9417.

Bibliografia:
1. Araujo TM, Iório MCM. Amplificação sonora em idosos com e sem zumbido. CoDAS 2015;27(4):319-25.
2. Sanchez TG, Oliveira JC, Kii MA, Freire K, Cota J, Moraes FV. Zumbido em adolescentes: o início da vulnerabilidade das vias auditivas. CoDAS 2015;27(1):5-12.
3. Rosa MRD, Almeida AAF, Pimenta F, Silva CG, Lima MAR, Diniz MFFM. ZUMBIDO E ANSIEDADE: UMA REVISÃO DA LITERATURA. Rev. CEFAC. 2012 Jul-Ago; 14(4):742-754.
4. Benin L, Teixeira AR, Lessa, AH, Rosito LPS, Walbrohel I, Picinini T, Neves CZ, Soares RS, Dall’Igna C. Zumbido crônico: estudo em indivíduos com e sem perda auditiva. ConScientia e Saúde, 2016;15(4):657-664.
5. Suzuki FAB et al. Eficácia da terapia sonora em pacientes com zumbido resistente a tratamentos anteriores: importância dos ajustes. Braz J Otorhinolaryngol. 2016;82(3):297-303.
6. Davoine S. ZUMBIDO: tecnologia deve ser associada a aconselhamento. AUDIOLOGY INFOS, N°28, setembro-outubro 2014.
7. Azevedo MM, Vaucher AVA, Duarte MT, Biaggio EPV, Costa MJ. INTERFERÊNCIA BINAURAL NO PROCESSO DE SELEÇÃO E ADAPTAÇÃO DE PRÓTESES AUDITIVAS: REVISÃO SISTEMÁTICA. Rev. CEFAC. 2013 Nov-Dez; 15(6):1672-1678.
8. Husain F. Queremos entender como as pessoas lidam com o zumbido. Audiology Infos Versão Digital. Publicação em 25/05/2017. Disponível em: http://www.audiology-infos.br.com/em-foco/1163-fatima-husein-queremos-entender-como-as-pessoas-enfrentam-o-zumbido. Acesso em 10 mar 2018.